| 0 comentários |

26 de ago de 2009

Em Apocalipse 5:13, 14 não vejo o trono do Espírito…

Darei uma breve resposta a esta questão muito importante:


As Três Pessoas da Trindade exercem funções diferentes no plano de Salvação. O Filho glorifica o Pai e o Espírito Santo glorifica o Filho (e, por que não, o Pai também). Deste modo, não é de admirar o fato de o Espírito Santo não ser mencionado “diretamente” como estando assentado em um trono, pois este não é o Seu propósito. Ele quer exaltar o Pai e o Filho. (ver João 16:14).


Mas, há um detalhe para o qual devemos atentar (esse argumento aprendi ao estudar o livro “A Trindade” – Casa Publicadora Brasileira): a Bíblia dá sim a entender a presença do Espírito Santo no trono Divino. É isto mesmo. A presença do Espírito Santo está subentendida em Apocalipse 22:1 na expressão “rio da (água da) vida” que sai do trono. isso porque a água é um dos símbolismos do Espírito – especialmente no evangelho de João: “No último dia, o grande dia da festa, levantou-se Jesus e exclamou: Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado.” João 7:37-39.


Além desta evidência bíblica, há referências literárias, inclusive na tradição judaica, que identificam o “rio da vida” com o Espírito Santo.


Fique com Deus,


(Leandro Quadros).


...read more ⇒
| 0 comentários |

21 de ago de 2009

Oceanos podem estar escondidos dentro da Terra

Autor: Michelson Borges

Estudos medindo a eletrocondutividade no interior do planeta indicam que talvez haja imensos oceanos sob a superfície da Terra. A água é um condutor extremamente eficiente de eletricidade. Por isso, cientistas da Oregon State University, nos Estados Unidos, acreditam que altos níveis de condutividade elétrica em partes do manto terrestre - região espessa situada entre a crosta terrestre e o núcleo - poderiam ser um indício da presença de água.

Os pesquisadores criaram o primeiro mapa global tridimensional de condutividade elétrica do manto. Os resultados do estudo foram publicados nesta semana na revista científica Nature. As áreas de alta condutividade coincidem com zonas de subducção, regiões onde as placas tectônicas - blocos rígidos que compõem a superfície da Terra - entram em contato e uma, geralmente a mais densa, afunda sob a outra em direção ao manto. Geólogos acreditam que as zonas de subducção sejam mais frias do que outras áreas do manto e, portanto, deveriam apresentar menor condutividade. "Nosso estudo claramente mostra uma associação próxima entre zonas de subducção e alta condutividade. A explicação mais simples seria (a presença de) água", disse o geólogo Adam Schultz, coautor do estudo. Apesar dos avanços tecnológicos, especialistas não sabem ao certo quanta água existe sob o fundo do mar e quanto dessa água chega ao manto. "Na verdade, não sabemos realmente quanta água existe na Terra", disse um outro especialista envolvido no estudo, o oceanógrafo Gary Egbert. "Existem alguns indícios de que haveria muitas vezes mais água sob o fundo do mar do que em todos os oceanos do mundo combinados." Segundo o pesquisador, o novo estudo pode ajudar a esclarecer essas questões. A presença de água no interior da Terra teria muitas possíveis implicações.

A água interage com minerais de formas diferentes em profundidades diferentes. Pequenas quantidades de água podem mudar as propriedades físicas das rochas, alterar a viscosidade de materiais presentes no manto, auxiliar na formação de colunas de rocha quente e, finalmente, afetar o que acontece na superfície do planeta. Se a condutividade revelada pelo estudo for mesmo resultado da presença de água, o próximo passo seria explicar como ela chegou lá. "Se a água não estiver sendo empurrada para baixo pelas placas, seria ela primordial? (Estaria) lá embaixo há bilhões de anos?" [sic], pergunta Schultz. "E se foi levada para baixo à medida que as placas lentamente afundam, seria isso um indício de que o planeta já foi muito mais cheio de água em tempos longínquos? Essas são questões fascinantes para as quais ainda não temos respostas."

Os cientistas esperam, no futuro, poder dizer quanta água estaria presente no manto, presa entre as rochas. Este estudo teve o apoio da Nasa, a agência espacial americana.

Nota: Embora muitos adeptos da teoria diluvianista afirmem, baseados em evidências geológicas, que os montes não tenham sido tão altos no mundo antediluviano e que as fossas oceânicas também não devam ter sido tão profundas, e que se a Terra fosse mais ou menos planificada poderia ter havido água suficiente para cobrir vastas extensões de terra, essa nova pesquisa poderá responder à pergunta que insiste em não calar na mente e na boca de muitos opositores do modelo diluvianista bíblico: Para onde foi toda a água do dilúvio? Quem sabe não esteja aí a resposta?[MB]

(Michelson Borges)
...read more ⇒
| 0 comentários |

14 de ago de 2009

Tentações são mais poderosas do que as pessoas pensam

(Diário da Saúde)

Por que caímos em tentação?

Por que as pessoas sucumbem às tentações da ganância, da luxúria e dos comportamentos autodestrutivos, colocando em risco seus relacionamentos e sua própria saúde?

Uma nova pesquisa, feita na Kellogg School of Management (EUA), demonstra que as pessoas acreditam ter mais autocontrole do que na verdade têm - o que, em última instância, leva a decisões mal feitas, que lhe trarão prejuízos. Em outras palavras, as pessoas estão mais sujeitas às "tentações" do que se dão conta, o que faz com que elas "caiam em tentação" mais frequentemente do que gostariam, esteja o fato relacionado a questões tão distintas quanto relacionamentos afetivos ou dietas para emagrecimento.

O poder dos desejos

A pesquisa, liderada por Loran Nordgren, examinou como a confiança das pessoas em suas habilidades para controlar impulsos como ganância, vícios de drogas e interesses sexuais influencia suas reações às tentações. Os pesquisadores descobriram que as pessoas, em média, mostram um "desvio de moderação" que as faz calcular incorretamente a dimensão da tentação que eles podem de fato suportar, o que as leva a uma grande propensão a ceder aos vícios e aos desejos. "As pessoas não são boas em prever o poder dos seus desejos e aqueles que são mais confiantes com relação ao seu autocontrole também são os mais propensos a cair em tentação," disse Nordgren.

Ficar longe das tentações e humildade

A solução para o problema pode parecer simples. "A chave é simplesmente evitar quaisquer situações onde os vícios e outras fraquezas lhe desafiem e, mais importante, as pessoas devem manter uma visão mais humilde da sua própria força de vontade," diz o pesquisador. Os pesquisadores citam estudos anteriores que demonstraram que as pessoas frequentemente têm dificuldade para avaliar a força dos seus momentos impulsivos. Pessoas em um estado de serenidade, que não estejam experimentando raiva, fome ou desejos sexuais, tendem a subestimar como um estado "quente", impulsivo, irá influenciar seu comportamento. "Um sistema que assume que as pessoas irão controlar a si mesmas está fadado ao fracasso devido a esse viés da moderação. Nós expomos nós mesmos a mais tentações do que seria sábio e, como consequência, temos milhões de pessoas sofrendo com obesidade, vícios e outros estilos de vida menos saudáveis," diz o cientista.

Não julgar

Nordgren afirma que as conclusões não se restringem às tentações pessoais ou de vícios de qualquer tipo. "Entendendo o poder da tentação, você também poderá perguntar sobre em que medida nós precisamos de normas regulatórias para os negócios e para os líderes políticos." Além disso, esta pesquisa sugere que quem olha de fora pense duas vezes antes de julgar aqueles que caem vítimas das tentações, porque a maioria das pessoas superestima sua capacidade de controlar seus próprios impulsos.

NOTA: Quando se fala em tentação é fácil lembrar da história de Jó, só o fato dele ter sido colocado em prova e de Satanás ter feito o máximo que lhe foi possível para tentar fazer Jó blasfemar de Deus sem resultados, é fascinante. Mas duas coisas me chamam atenção na pessoa de Jó que muitos jovens podiam implantar em suas vidas: primeiro diz a Bíblia que Jó era "homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal", segundo, o próprio Jó afirma dele mesmo: "Fiz pacto com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa donzela?". Agora notamos que os princípios que Jó seguia são apontados na pesquisa acima, pois é afirmado que frequentemente nos colocamos em posições que nos deixa suscetíveis a tentação, e Jó se desviava do mal, ainda diz mais, que devemos saber de nossos limites e sermos humildes em saber que não temos força o suficiente para vencer as tentações, por isso caímos, e o incrível é que Jó não de dispunha a olhar para uma mulher, pois sabia que poderia cair, logo ele fez um "pacto com seus olhos". Devemos ainda lembrar que Deus não nos permite recebermos tentação da qual não podemos vencer, mas devemos ser cautelosos para não procurarmos tentações além das que Deus permite, devemos assim como Jó, nos desviar do mal.
...read more ⇒
| 0 comentários |

13 de ago de 2009

Comissão da Câmara aprova estatuto jurídico da Igreja Católica no Brasil

(Uol)

A Comissão de Relações Exteriores da Câmara aprovou nesta quarta-feira o acordo que cria o estatuto jurídico da Igreja Católica no Brasil. No parecer aprovado, o relator, deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), afirmou que o acordo não fere a Constituição, enfatiza a necessidade de relações internacionais com todos os povos e admite a aproximação com todas as religiões.

omposto por 20 artigos, o acordo foi assinado pelo Brasil e pelo Vaticano em 2008. O texto estabelece normas sobre ensino religioso, casamento, imunidade tributária para as entidades eclesiásticas, prestação de assistência espiritual em presídios e hospitais, garantia do sigilo de ofício dos sacerdotes e visto para estrangeiros que venham ao país para atividade pastoral. O acordo também reforça o vínculo não-empregatício entre religiosos e instituições católicas, ratificando regras já existentes. Em relação ao casamento, por exemplo, o acordo estabelece que o matrimônio celebrado de acordo com as leis da Igreja que atender também às exigências do Direito terá efeitos civis. Já no que diz respeito ao ensino religioso, o tratado menciona o respeito à importância dessa disciplina, seja católica ou de outra religião, mas com matrícula facultativa no ensino fundamental das escolas públicas.

Respeito ao ecumenismo

"A Comissão tomou a posição que me parece mais certa para o interesse público e para a vida social da nação. Esse acordo não exclui de forma nenhuma as demais religiões existentes no Brasil. Acho que procura realmente criar um convívio efetivo de todas as religiões. Não tem inconstitucionalidade. Ele [o acordo] repete a Constituição e a legislação brasileira de modo que está totalmente integrado no sistema jurídico brasileiro e não atinge nenhuma lei ou norma jurídica", afirmou o relator.

A discussão da matéria, no entanto, foi polêmica. Sete deputados votaram contra a proposta. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP), por exemplo, considerou um erro do governo brasileiro a assinatura do acordo. "Eu acho que a CCJ devia se manifestar pela inconstitucionalidade, porque aqui há um acordo entre um Estado republicano democrático e um Estado teocrático. Então, não é um acordo comercial, é um acordo que envolve a opção preferencial por uma religião, quando isso atenta contra própria Constituição, que prevê total liberdade religiosa e de culto, sem nenhuma predisposição a adotar uma como preferencial."

A proposta ainda será analisada pelas comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público; de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania; antes de ser votada em plenário. Já há, no entanto, pedido de urgência para matéria, o que pode permitir a votação direta pelo plenário.

NOTA: De pouco em pouco tudo parece se encaixar. Tudo feito as escuras e com pressa, muito conveniente para a ICAR. Logo a profecia alcança seu auge.
...read more ⇒
| 0 comentários |

Edir Macedo sob suspeita

(Portal de Notícias da Globo)

MP vai rastrear dinheiro de Macedo no exterior

A promotoria concluiu que empresas de comunicação estão entre as que receberam ilegalmente dinheiro de doações de fiéis da Igreja Universal que deveriam ter sido usadas em obras de caridade.

O Ministério Público de São Paulo vai pedir ajuda internacional para rastrear movimentações financeiras na investigação de lavagem de dinheiro contra Edir Macedo e mais nove pessoas. A promotoria concluiu que empresas de comunicação estão entre as que receberam ilegalmente dinheiro de doações de fiéis da Igreja Universal que deveriam ter sido usadas em obras de caridade. O Jornal Estado de São Paulo teve acesso a documentos que fazem parte da investigação feita contra o fundador da Igreja Universal, Edir Macedo, e outras pessoas ligadas a ele e à igreja. As informações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, Coaf, revelam que o dinheiro dos fiéis, arrecadado para a manutenção da igreja e obras sociais, era desviado para a compra de empresas de comunicação. O relatório faz parte da investigação de dois anos do Ministério Publico de São Paulo, que culminou na denúncia contra Edir Macedo e nove pessoas ligadas, por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Segundo a promotoria, em vez de aplicar o dinheiro dos fiéis em obras de assistência ou na manutenção dos templos, Edir Macedo e os outros acusados usaram os recursos em benefício próprio.

Todos agora são réus no processo que apura desvio de dinheiro de fiéis para a compra de bens e empresas em nome de particulares próximos a Edir Macedo, inclusive emissoras de TV e de rádio.

A reportagem afirma: "oito empresas de comunicação, entre elas a rádio e televisão Record estão entre as dez principais beneficiárias de transferências eletrônicas ou depósitos bancários que saíram da Igreja Universal do Reino de Deus”. Outras beneficiárias: Edminas, Rede Mulher de Televisão, Editora Gráfica Universal, e Rede Família de Comunicação, todas ligadas ao grupo. Ainda de acordo com o jornal, dos R$ 8 bilhões que passaram pela igreja e por empresas ligadas a ela em sete anos, R$ 300 milhões foram movimentados em cinco países: México, Venezuela, Estados Unidos, África do Sul e Chile. Durante a fase de inquérito, a maior parte dos acusados foi intimada e se apresentou na delegacia. Mas, por orientação do advogado, eles disseram que falariam apenas diante do juiz. Segundo a polícia, Edir Macedo não compareceu. A intimação dele foi entregue à defesa, já que o bispo mora nos Estados Unidos. Segundo a promotoria, a investigação vai prosseguir agora, com um novo pedido de ajuda internacional para localizar valores que possam ter sido movimentados ilegalmente no exterior.
Uma funcionária do advogado Arthur Lavigne, que representa os réus, disse que ele passou o dia muito ocupado e não teve tempo de ver as denúncias publicadas no jornal Estado de São Paulo.

NOTA: Geralmente entendemos muitos versos Bíblicos como tendo sua aplicação apenas no fim de tudo, no dia do juízo, na volta de Jesus entre outras situações. Mas parece que em certas ocasiões alguns versos tem aplicação cotidiana, como por exemplo: "Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau." (Ecle. 12:14)


...read more ⇒
| 0 comentários |

Universitários sentem-se despreparados para debater criacionismo

(Unasp)

autor: Wal Barbosa e Jeferson Paredello

Na tarde de sábado, 25 de julho, o jornalista Michelson Borges foi convidado para palestrar no Centro universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho, sobre o contraste existente entre criacionismo e evolucionismo. A apresentação foi direcionada a acadêmicos e membros da comunidade local. Borges apresentou vários argumentos que, segundo ele, evidenciam a inconsistência do evolucionismo. Para comprovar seus argumentos, aproveitou para mostrar várias contradições apresentadas pela mídia com respeito às últimas descobertas paleontológicas, ciência que estuda a vida do passado da Terra e o seu desenvolvimento a longo tempo geológico. Apesar de não ter formação na área de ciências biológicas, Borges tem se dedicado a apresentar o paralelo entre o criacionismo e o evolucionismo desde 1994. Formado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o jornalista relata que a motivação que teve para divulgar o criacionismo veio do geólogo Nahor Neves de Souza Jr., que, assim como ele, dedica parte de seu tempo para divulgar o resultado de suas pesquisas. “Para mim, ele é um mentor”, declara o palestrante. Como divulgador da teoria criacionista, Borges tem sido um dos destaques nesse meio, dentro do País.

No fim do mês de junho deste ano, o criacionista foi procurado pela jornalista Tatiana Sabadini, do Correio Braziliense, um jornal do Distrito Federal, a fim de obter dele uma entrevista sobre a controvérsia entre o criacionismo e o evolucionismo. Para a produção da reportagem, ela questionou por que é tão difícil para a sociedade científica aceitar as ideias criacionistas. Como reposta a essa pergunta, Michelson salientou: “Justamente porque muitos consideram o criacionismo como um modelo apenas religioso, sem levar em conta seu aspecto científico.” Ele explica que grande parte da rejeição aos criacionistas tem origem no preconceito. Na ocasião, aproveitou para ressaltar que “embora os criacionistas reconheçam a Bíblia Sagrada como fonte de princípios morais e de respostas satisfatórias para as perguntas fundamentais da humanidade, eles também fazem boa ciência e se pautam pelo método científico”. Como exemplo, citou alguns nomes de importantes cientistas criacionistas que têm artigos publicados nos mais prestigiados periódicos científicos, como Leonard Brand, Harold Coffin e Marcos Eberlin. Na palestra apresentada no Unasp, Borges, que atualmente exerce a função de editor da Casa Publicadora Brasileira (CPB), mostrou-se preocupado quanto ao preparo científico dos criacionistas. Segundo o comentário feito em seu blog (www.criacionismo.com.br), a imprensa está cada vez mais procurando pessoas que falem sobre o assunto, contudo, ele adverte que para isso é preciso capacitação teológica e científica para discutir o tema.

Após a palestra, uma pesquisa feita com 50 universitários demonstrou que 86% deles não se sentem aptos para debater cientificamente o criacionismo. “No momento, não me sinto preparada para discutir e provar através de evidências o criacionismo”, lamentou a estudante do segundo ano de Publicidade e Propaganda, Lorena Montelo. De acordo com Borges, isso se dá pela má fundamentação científica recebida durante o processo educativo de um estudante. Outro motivo por ele apresentado é a falta de interesse pelas publicações criacionistas existentes.
Ao término da apresentação, várias indagações e comentários foram feitos. Aos jovens que ali estavam, o que parece ter chamado mais a atenção foi a sugestão feita por uma senhora que assistia à palestra. Na ocasião, ela sugeriu que a juventude fosse motivada a estudar em cursos que os capacitem a defender cientificamente o criacionismo, como biologia, por exemplo. O palestrante apreciou a participação e aproveitou o gancho para motivar adultos e jovens a despenderem mais tempo em estudar materiais científicos a fim de se preparar para defender suas convicções. Depois de acompanhar o programa, a estudante do terceiro ano de enfermagem, Lidiane de Souza, que na ocasião visitava o campus, reconhece que o preparo para discutir esse tema é necessário. “Realmente é importante estudar a visão teísta e a ateísta; assim podemos ter mais base para defender aquilo em que acreditamos”, declara.

Baseados na Bíblia, jovens que defendem o criacionismo alegam ter nesse livro a base para acreditar em Deus. Contudo, durante a palestra, Borges instruiu que se estude, também, outros livros de caráter científico. “Concordo que a juventude deve estudar os dois lados [criacionismo e evolucionismo], no entanto, recomendo que primeiro estudem a fundo o teísmo/criacionismo, pois assim saberão que o criacionismo também pode provar muitas coisas”, reforça.

NOTA: "antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós" (I Pedro 3: 15)

...read more ⇒
| 0 comentários |

7 de ago de 2009

Fóssil revela "asa inteligente" de pterossauro

(Jornal da Ciência)

Sistema de fibras pode ter ajudado réptil voador a controlar seu desempenho nos céus, afirma paleontólogo brasileiro. Espécime chinês com alto grau de preservação, de 130 milhões de anos, [sic] traz também pista sobre suposta presença de pelos no bicho

Reinaldo José Lopes escreve para a "Folha de SP":

Os engenheiros aeronáuticos do século 21 talvez possam aprender alguns truques com répteis alados de 130 milhões de anos [sic]. Uma pesquisa apresentada ontem por uma equipe internacional, incluindo uma dupla de brasileiros, sugere que camadas especializadas de fibras nas asas dos bichos permitiam ajustes sutis dos movimentos deles no ar - uma espécie de "voo inteligente" em pleno período Cretáceo. A conclusão vem da nova análise de um fóssil maravilhosamente bem preservado, o pterossauro chinês Jeholopterus ningchengensis, cujas asas mediam cerca de 90 cm de uma ponta à outra. Por um golpe de sorte pré-histórico, não apenas os ossos, mas também boa parte dos tecidos moles do bicho sobreviveram ao tempo [ou será que é por que eles são mais recentes do que se imagina]. Entre esses tecidos estão as asas membranosas, parecidas com as de morcegos e típicas de todos os pterossauros.

Fly by wire

A semelhança com os atuais mamíferos voadores, no entanto, é apenas superficial. Para o paleontólogo Alexander Kellner, do Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), os pterossauros provavelmente punham seus sucessores no chinelo. "A membrana dos morcegos é menos espessa e muito mais simples que a dos pterossauros", disse Kellner à Folha. "Claramente o voo desses animais era bem mais sofisticado do que a gente imaginava." [então onde está a evolução?]

Kellner e seus colegas, como o também brasileiro Diógenes de Almeida Campos e paleontólogos da China e da Alemanha, publicaram sua análise do fóssil na edição desta semana da revista científica britânica "Proceedings of the Royal Society B". Com a ajuda de luz ultravioleta, os pesquisadores conseguiram ver detalhes milimétricos da membrana das asas, que dão apoio à hipótese de que ela sofria modificações sutis para se ajustar às necessidades de voo do animal. O sinal mais claro disso são três camadas diferentes de pequenas fibras, as chamadas actinofibrilas, dispostas em orientações diferentes (na vertical ou na horizontal, o que, no fóssil, dá a impressão de um tabuleiro de xadrez, porque as camadas foram "amassadas" pelos processos geológicos).

"Nós só vamos poder confirmar o que eram essas fibras com uma análise da estrutura microscópica delas. Acredito que eram fibras musculares. De qualquer maneira, elas obrigatoriamente influenciavam a estrutura da asa e são condizentes com a ideia de que o animal era capaz de ajeitá-la durante o voo", afirma Kellner. Comprimindo ou distendendo as fibras entre si, o bicho poderia, por exemplo, modificar ativamente a resistência de sua membrana ao ar, tornando-a mais ou menos rígida. Para Kellner, o achado confirma que os pterossauros não eram meros planadores, mas voadores ativos e sofisticados.

Nem pelado nem peludo

A nova análise do fóssil também pode acabar com uma velha dúvida: afinal, os pterossauros tinham pelos? A ideia de uma cobertura pilosa parece esquisitice pura em se tratando de um réptil, mas alguns fósseis bem preservados já tinham indicado essa possibilidade. Kellner e seus colegas, ao examinar estruturas vagamente parecidas com pelos no corpo do bicho, dizem ter determinado que elas não se parecem exatamente nem com as penas das aves nem com os pelos dos mamíferos. No entanto, podem ter tido uma função similar: conservar o calor do corpo.

"Nós preferimos chamar esses supostos pelos de picnofibras, ou seja, fibras densas. Ao toque, talvez elas fossem parecidas com uma vassoura de piaçava, mais duras e eriçadas", compara Kellner. É possível que pterossauros de diferentes regiões tivessem mais ou menos picnofibras, dependendo do clima de cada lugar.
(Folha de SP, 6/8)

NOTA: Quando leio um artigo especialmente falando sobre espécies voadoras de supostos milhões de anos, fico sempre na pergunta: O sistema de voo em insetos e aves é fantástico, por que será que a coluna geológica não mostra um só exemplo de quando essa transição se passou? Quando foi que os répteis ganharam o sistema de voo se não existe um só exemplar mostrando esse espetacular sistema se formando nos fósseis? Todo fóssil de animais voadores, desde insetos a aves, aparecem com o sistema de voo completo, não falta nada, está tudo bem encaixado sem o menor sinal de que houve mudanças. Será que é por que eles já foram criados assim?

...read more ⇒
| 0 comentários |

Um terço das grávidas no Brasil é adolescente

(Diário da Saúde)

Gravidez e uso de drogas

Um estudo feito na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que avaliou a prevalência do uso de drogas durante a gestação de mil adolescentes atendidas em um hospital público de São Paulo, verificou que o consumo de tabaco, álcool e drogas ilícitas foi de 17,3%, 2,8% e 1,7%, respectivamente. O objetivo da pesquisa, coordenada por Ronaldo Laranjeira, foi descrever as condições sociodemográficas e comportamentais associadas com a gestação na adolescência no hospital, localizado na periferia da zona norte da capital paulista, com alto índice de vulnerabilidade juvenil e no qual 25% dos partos realizados são de adolescentes.

Um terço das grávidas são adolescentes

"Quase um terço das grávidas no Brasil são adolescentes e, nesse estudo específico, estamos falando de mil jovens que estavam no terceiro trimestre de gravidez. Então, considerar que 17,3% delas fumavam durante a gestação é uma estatística alta e preocupante, podendo provocar impactos no feto", disse Laranjeira.

Drogas lícitas e ilícitas

Quanto ao uso de drogas durante a gestação, as adolescentes que fumavam disseram que ingeriam, em média, cinco cigarros por dia e, do total das que disseram consumir álcool, 26,6% admitiram ter ingerido pelo menos em uma ocasião durante a gestação, sendo 2,8% de forma abusiva. No que se refere a outros tipos de drogas, como maconha e cocaína, além das 17 (1,7%) que admitiram ter usado durante a gestação, seis (0,6%) relataram uso de droga injetável e 24 (2,4%) disseram ter tido relação com um parceiro usuário de droga injetável. O levantamento, que foi aprovado pelos Comitês de Ética e Pesquisa da Unifesp, aponta ainda que a média de idade das participantes foi de 17 anos, sendo que 17% tinham até 15 anos.

Gravidez na adolescência

"Apesar de ficarmos mais atentos à questão do uso de álcool e drogas, que obviamente é o que mais nos preocupa, o assunto da gravidez na adolescência também é um problema de saúde pública muito maior do que imaginávamos", disse Laranjeira. Segundo ele, das mil adolescentes analisadas, 93% pertenciam às classes econômicas C, D e E e 68% tinham renda familiar mensal de até quatro salários mínimos, sendo que apenas 9,7% disseram estar trabalhando. Outro dado é que, independentemente da faixa de idade, mais da metade das adolescentes (67,3%) não estudava no momento da entrevista. Ainda do total, 81,2% não tinham planejado a gestação, 60,2% associavam o abandono da escola com a gravidez e apenas 23,7% faziam uso de método contraceptivo. Em relação ao comportamento sexual, a média de idade de início de atividade sexual foi de 15 anos, variando de 10 a 19 anos.

Dois filhos na adolescência

"Um dos resultados que mais impressionam nesse estudo é justamente o alto índice de gravidez entre as adolescentes, sendo que normalmente 20% delas têm o segundo filho ainda na adolescência. E outros estudos indicam que esse alto índice está se mantendo e até aumentando", disse Laranjeira. Quanto à estrutura familiar, o estudo mostra que apenas 7,2% das mulheres eram casadas legalmente, mas 62,7% delas disseram viver com um companheiro. De acordo com Laranjeira, esse e outros estudos conduzidos por pesquisadores da Unifesp têm fornecido subsídios importantes para o estabelecimento de estratégias e políticas públicas específicas para a população feminina. "Os dados da Uniad têm sido replicados em outras linhas de pesquisa e também temos tentado dialogar com as várias esferas de governo para a criação de políticas públicas voltadas à diminuição da maternidade precoce e do consumo de drogas na adolescência, tanto no que diz respeito às questões preventivas como no âmbito do tratamento", disse.

Laranjeira antecipa que um dos resultados desses diálogos deverá se concretizar em breve com a criação, pelo governo do Estado de São Paulo, de uma unidade de saúde voltada exclusivamente ao tratamento de mulheres com problemas de dependência química. "Esse é um projeto que deve ser inaugurado ainda este ano em São Bernardo do Campo", disse.

NOTA: Laranjeira ainda demonstra otimismo quando afirma que pesquisas assim como esta são importantes e ajudam ao governo no tocante a tais assuntos, mas também afirmou que os números de adolescentes grávidas está se mantendo e até aumentando, o que é preocupante. Uma boa educação, família estruturada emocionalmente e economicamente, diálogo, são apenas alguns dos requisitos essenciais para manter jovens adolescentes conscientes e evitar tais números em pesquisas. Mas algo é de extrema importância, a Mídia não ajuda muito nesse combate, o conteúdo disponível para jovens e qualquer outra classe de pessoas é muitas vezes erotizado e carregado de informações que podem deixar qualquer adolescente desorientado. Só o fato de que hoje filmes de comédias mostram pessoas que usam drogas de uma forma divertida e ainda como alguém que se destaca na turma, não oferece um bom caminho para solucionar os problemas da sociedade, mais para contribuir com eles.

...read more ⇒
| 0 comentários |

Refrigerantes continuam sendo vendidos mesmo contendo o cancerígeno benzeno

(Diário da Saúde)

Refrigerante e câncer

Milhares de brasileiros que consomem refrigerantes podem, sem saber, estar ingerindo benzeno, uma substância comprovadamente cancerígena. Apesar da associação de defesa dos consumidores Pro Teste ter feito o alerta no início de maio, até o momento nenhuma providência foi tomada nem pelos órgãos competentes, nem pelas empresas. Os fabricantes não negam a denúncia e alegam que cumprem os requisitos contidos na legislação brasileira. De acordo com o Ministério da Agricultura, "não há limite estabelecido oficialmente para o benzeno em refrigerantes".

Refrigerantes com benzeno

Segundo a coordenadora institucional da Pro Teste, a advogada Maria Inês Dolci, o objetivo inicial da entidade era apenas analisar a higiene e o valor nutricional das bebidas. Para surpresa dos pesquisadores, sete das 24 amostras de diferentes marcas submetidas a testes revelaram indícios de benzeno: Fanta Laranja; Fanta Laranja light; Sukita; Sukita Zero; Sprite Zero; Dolly Guaraná e Dolly Guaraná diet. Como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pelo controle e fiscalização dos produtos e serviços que envolvam risco à saúde pública, não estabelece limites para a presença da substância em refrigerantes, os pesquisadores se basearam nos parâmetros legais sobre a existência do benzeno na água para definir um referencial "considerado aceitável" à saúde humana. Mesmo por esse critério - que o próprio Ministério da Agricultura considera "inadequado" -, a Fanta Laranja light e a Sukita Zero foram reprovadas. No caso da Sukita Zero, a concentração da substância excedia em quatro vezes o valor de referência.

Empurra-empurra

Responsável por registrar os produtos, o ministério informa que é possível que o benzeno se forme a partir da reação entre o ácido benzoico, empregado como conservante, e o antioxidante ácido ascórbico. Sobre o risco de os refrigerantes conterem benzeno, no entanto, o ministério se limitou a informar que, não havendo limites estabelecidos oficialmente para a presença do "contaminante" em refrigerantes, apenas checa se os ácidos benzoico e ascórbico são usados conforme permitido pela Anvisa. A agência, por sua vez, informou que "o uso do ácido benzoico em bebidas não alcoólicas" é permitido e que o Ministério da Agricultura "deve checar se os limites de uso desses aditivos estão sendo respeitados" ao conceder o registro do produto.

Substância cancerígena

Em resposta enviada à Agência Brasil, nenhuma menção é feita ao benzeno, embora já em 2003 a própria Anvisa tenha proibido a fabricação, distribuição e comercialização de produtos que contenham a substância, caracterizada pela International Agency Research on Cancer (Iarc) como "comprovadamente cancerígena". "O assunto é sério. Muitas pessoas consomem refrigerantes e já que constatamos a presença de benzeno em algumas bebidas, há uma responsabilidade muito grande dos órgãos reguladores e da indústria", disse a coordenadora da Pro Teste à Agência Brasil. "Esperamos que sejam adotadas as medidas cabíveis para que seja proibida a presença de benzeno nas bebidas. Sugerimos que os fabricantes substituam um dos dois ácidos do processo industrial e que os órgãos competentes elaborem uma legislação específica que proíba a presença do benzeno em refrigerantes".

Medidas necessárias

Em resposta enviada à Pro Teste, a Coordenadoria-Geral de Vinhos e Bebidas do ministério disse estar levantando informações com os fabricantes sobre quais deles usam a combinação dos ácidos benzoico e ascórbico, "que podem causar a formação do benzeno". O ministério garantiu que está adotando "as medidas necessárias para desenvolver uma metodologia capaz de detectar a presença do benzeno em bebidas". Falando em nome da Coca-Cola (fabricante da Sprite Zero, Fanta Laranja e Fanta Laranja light), da Ambev (Sukita e Sukita Zero) e da empresa Dolly - procuradas pela reportagem para comentar o assunto e esclarecer se, confirmada a denúncia, alguma providência havia sido tomada -, a Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes (Abir) informou que seus associados não tiveram acesso à pesquisa, não podendo comentá-la.
A entidade informou também que os produtos citados são registrados "e seus componentes e fórmulas obedecem a todos os requisitos da legislação brasileira de saúde".

...read more ⇒
| 0 comentários |

5 de ago de 2009

O Perigo que vem das Tundras

(Opinião e Notícia)

Sob a camada de terra congelada do Ártico pode estar mais um problema para o clima do planeta.

À medida que a tundra descongela em razão do aquecimento global, as bactérias avançam sobre a matéria orgânica que ela contém. Isso libera ainda mais dióxido de carbono, além de metano, outro gás de efeito estufa, que tem potencial de aquecimento 25 vezes maior do que o CO2.

Um cientista da Universidade da Flórida estima que as camadas de terra congelada de todo o mundo contêm o dobro do carbono que existe na atmosfera. Mesmo se uma fração disso fosse liberada, seria algo problemático para o planeta. E isso não é tudo. Mudanças na ecologia da tundra podem ter efeito devastador sobre a presença humana neste ecossistema, comprometendo edifícios, estradas e oleodutos. Por todas essas razões foi iniciado um projeto de pesquisa sobre a tundra que reúne 17 equipes de pesquisa dos EUA e do Canadá, cujo objetivo é entender melhor um dos ecossistemas menos estudados do planeta.

...read more ⇒